quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Sombras Noturnas

Autor: Jonas da Cruz Amaral

No mar
Afogado pelo luar
Repousa o veleiro.

À noite as águas marítimas
Sempre parecem mais sombrias.

As sombras vêm e vão
Atracadas no cais
Presas no íntimo do velejador.

Os espectros aparecem e desaparecem
Debelados pelo canto das sereias. 





Nenhum comentário:

Postar um comentário